fbpx

Produção de Conhecimento de Inteligência

  • 19 junho, 2019

A produção de conhecimento de Inteligência por um serviço de Inteligência obedece uma doutrina. No mundo, há diferentes doutrinas seguidas pelos diversos serviços secretos existentes formalmente nos países. A doutrina de produção de conhecimento de Inteligência seguida pelo serviço de Inteligência russo é diferente da doutrina utilizada pelo serviço secreto chinês, que por sua vez é diferente dos serviços secretos ocidentais, notadamente a doutrina seguida por Estados Unidos e Reino Unido, principalmente.

A Produção de Conhecimento de Inteligência Brasileira

A doutrina de Inteligência brasileira é alinhada com a doutrina americana. A produção de conhecimento de Inteligência prevê etapas lógicas e sequenciais, com a finalidade de se obter dados e informações de forma oportuna e útil, além de priorizar o binômio custo e segurança do agente. Ou seja, as ações de Inteligência utilizadas para a obtenção de dados e conhecimentos sempre priorizarão a lógica: do mais barato para o mais caro, de menor risco para maior risco.

Posta essa lógica, a doutrina de Inteligência nacional prevê 05 (cinco) fases: Planejamento; Reunião; Análise e Síntese; Interpretação; e Formalização e Difusão.

Na etapa de Planejamento são organizados pelo profissional de Inteligência o tema que se deseja saber algo, os conhecimentos que o analista já possui sobre o tema, o conhecimentos que não possui e que se deseja obter, o prazo final para entrega do relatório e o usuário previsto para receber esse conhecimento de Inteligência. Um exemplo seria a confecção de um conhecimento de Inteligência sobre uma possível interferência externa nas eleições presidenciais brasileiras, por parte de uma nação estrangeira.

O prazo para produzir este conhecimento seria antes da data da eleição, para que se houvesse tempo hábil para algo ser feito para neutralizar essa ação adversa, e o usuário poderia ser, neste caso, o Ministro da Defesa do Brasil, o Presidente da República, ou mesmo o Diretor da Polícia Federal. Várias seriam as possibilidades de usuário.

Na fase de Reunião, como o nome diz, é quando se reúnem dados e conhecimentos elencados na fase de Planejamento como necessários para confeccionar o relatório de Inteligência. Nesta fase são definidas as ações a serem realizadas pelo profissional de Inteligência para se obter as informações necessárias.

A próxima fase é Análise e Síntese. Muitas pessoas não se lembram do significado destes dois vocábulos: análise e síntese. Análise significa desconstruir um todo, enquanto síntese é construção de algo. E é exatamente isso que um profissional de Inteligência faz. Com um conjunto as vezes enorme de dados e conhecimentos, ele desmonta e remonta as peças, como um quebra cabeça, para ao final se obter o conhecimento desejado, na forma de um relatório. Essa análise e síntese é sempre baseada no que foi premeditado na fase Planejamento.

A penúltima fase é a Interpretação. Muitos profissionais de Inteligência afirmam ser esta a fase mais nobre de um serviço de Inteligência. É nessa fase que muito da doutrina específica utilizada pela Inteligência de Estado se exemplifica. Nesta fase o relatório toma forma final.

Finalmente, após o conhecimento de Inteligência pronto, é realizada a formalização do documento. Cada instituição possui uma máscara, onde constam o emblema do órgão, usuário, numeração e itens de controle. Todas estas características tem como objetivo garantir que quem receba o documento, saiba de sua origem, evitando fraudes.

Com o conhecimento formalizado, resta a difusão, que nada mais é que o encaminhamento do documento de forma segura para o usuário, ou seja, para o tomador de decisões. Todo documento de Inteligência é um documento sigiloso. Por isso, os canais de difusão devem garantir que ninguém sem acesso permitido possa conhecer o conteúdo do conhecimento produzido.

Abaixo um esquema resumido da Produção de Conhecimento de Inteligência:

Estrutura produção de conhecimento de inteligencia

 

Posteriormente falaremos sobre os tipos de conhecimento de Inteligência existentes na doutrina nacional.

 

    • paulo do carmo
    • 22 junho, 2019
    Responder

    Obrigado por disponibilizar essas informações Castro! Parabéns por todo o desenvolvimento!

      • catedra
      • 25 junho, 2019
      Responder

      Olá Paulo! Obrigado pelas gentis palavras!
      Siga nos acompanhando pois muito coisa boa vem por aí. Grande abraço da equipe Cátedra!

Comente sobre este artigo