fbpx

Tornando-se um Profissional de Inteligência: Áreas de Conhecimento

  • 23 julho, 2023

Não há uma graduação em Atividade de Inteligência no Brasil. Nem em Inteligência de Estado ou Estratégica, ou outros nomes similares que podem ser dados. Para tornar-se um Profissional de Inteligência, é necessário obter um conjunto de conhecimentos e habilidades em diversos campos do saber, aliados à condutas pessoais específicas.


Este artigo é a 2ª parte sobre as Carreira na Atividade de Inteligência. Acesse aqui a 1ª parte: Carreira de Inteligência: panorama e contextos


 

Este conjunto de saberes se traduziu na criação de procedimentos metodológicos próprios da Atividade de Inteligência e na aplicação de técnicas operacionais de caráter sigiloso. Esta metodologia própria aliada às técnicas operacionais são o que chamamos de ações especializadas da Atividade de Inteligência. A carreira de Inteligência é formada então por um conjunto de capacitações específicas que propiciam ao aluno o domínio destas ações especializadas.

Ações especializadas para a coleta metódica de dados de livre acesso, a busca pelo dado negado (não disponível) e a proteção dos conhecimentos adquiridos ou custodiados.

Estas ações se traduzem nas três clássicas áreas da Atividade de Inteligência:

  • Inteligência
  • Contrainteligência
  • Técnicas Operacionais

Inteligência

É o ramo da Atividade de Inteligência responsável pela produção de conhecimentos. É neste ramo que o Profissional de Inteligência a) obtém; b) analisa; e c) dissemina os conhecimentos obtidos para o cliente final, o decisor.

Alguns cursos relacionados ao ramo Inteligência:

Contrainteligência

É o ramo da Atividade de Inteligência em que o profissional de inteligência objetiva neutralizar a Inteligência adversa, ou uma ameaça, interna ou externa. Então trata de prevenir, detectar, obstruir e neutralizar ações adversas, protegendo os ativos informacionais da instituição, bem como a segurança das áreas e instalações que custodiam estes ativos.

Alguns cursos relacionados ao ramo Contrainteligência:

Técnicas Operacionais

É quando o profissional de inteligência emprega operações sigilosas para apoiar os dois ramos anteriores da Atividade de Inteligência na busca pelo dado negado. Estas operações podem ser mais ou menos complexas e envolvem capacitações específicas que costumam ser agregadas habilidades adquiridas dos outros dois ramos: Inteligência e Contrainteligência.

Alguns cursos relacionados às Técnicas Operacionais:

  • Técnicas de Entrevista
  • Técnica OMD – observação, memorização e descrição.
  • Gerenciamento de Fontes Humanas
  • Técnicas de Vigilância
  • Planejamento Operacional

Existem diversos outros cursos das três áreas acima que se relacionam entre si, como com outras áreas do conhecimento. No site do Instituto Cátedra há diversos deles disponíveis no modelo Ensino à Distância e/ou na modalidade contratação in Company.

Trilhas de Aprendizagem para tornar-se um Profissional de Inteligência

Como qualquer processo de aprendizagem, é necessário começar pelo início. A Atividade de Inteligência é um conjunto de saberes complementares. Assim, o Instituto Cátedra sugere que o aluno inicie pelos cursos com conhecimentos mais introdutórios e amplos, para depois iniciar os cursos mais específicos.

A Pós-graduação Inteligência Estratégica do Instituto Cátedra possibilita uma aprendizagem linear da Atividade de Inteligência, ou seja, o curso é estruturado em módulos onde o conhecimento de um módulo é ligado ao módulo anterior.

Para os(a) profissionais que estão iniciando na carreira de Inteligência, ou que necessitam de reciclagem, o Cátedra recomenda a trilha de aprendizagem linear, como nos exemplos sugeridos abaixo:

Profissional de Inteligência: Trilha de Aprendizagem 1

1º Passo – Curso em nível de Especialização em Inteligência Estratégica

Trilha de Aprendizado para tornar-se Agente de Inteligência.

 

2º Passo – Cursos de capacitação de curta duração.

 

A Trilha de Aprendizagem 01 para a formação na carreira de Inteligência é um modelo linear. Segue uma proposta que o aluno terá uma base sólida através do curso de Pós-graduação e depois fará outros cursos de curta duração mais específicos.

No 2º passo da Trilha de Aprendizagem, os cursos rápidos podem ser outros diferentes destes propostoas, a depender da necessidade profissional do aluno(a), ou da vaga que almeja.

Profissional de Inteligência: Trilha de Aprendizagem 2

Caso o(a) profissional já possua uma base de conhecimento na Atividade de Inteligência e não queira, ou não possa, realizar um curso de longa duração, como a Pós-graduação em Inteligência Estratégica, por exemplo, é possível realizar os cursos de forma aleatória.

Esta é a proposta sugerida pelo Instituto Cátedra na Trilha de Aprendizagem 02, seguindo o modelo agrupado de trilhas de aprendizagem. Ou seja, não existe uma sequência pré-definida dos conhecimentos. Os cursos podem ser realizados na sequência que o profissional desejar, de forma concomitante, de acordo com as necessidades de capacitação de cada um.

A figura a seguir apresenta o conceito:

 

Como dito, a Trilha de Aprendizagem 2 é indicada para quem não pode realizar uma Pós-graduação, ou já possui uma base sobre a Atividade de Inteligência. Os cursos podem ser selecionados conforme a atuação profissional.

Confira os exemplos a seguir onde as Trilhas de Aprendizagem 1 e 2 podem ser escolhidas como forma de capacitação na carreira de Inteligência:

Exemplo 1

Órgão público deseja criar um núcleo de Inteligência e fomentar a cultura de Inteligência junto aos servidores.

Modelo indicado: Trilha de Aprendizagem 1

Justificativa: o curso de Pós-graduação Inteligência estratégica fornece conhecimentos gerais completos da Atividade de Inteligência em uma sistemática de conhecimentos introdutórios até aplicações mais complexas. Como curso de especialização, confere análise crítica do conteúdo ao aluno, e uma massa de servidores capacitados que fomentarão a cultura e aplicação da Atividade de Inteligência. Desta massa inicial surgirá a mão-de-obra qualificada a ser lotada no núcleo de Inteligência, além de capacitar os próprios tomadores de decisão.

Exemplo 2

A Defensoria Pública do estado X possui um núcleo de Inteligência. Porém está com dificuldade de apresentar para os defensores do estado como a Inteligência pode ajudá-los. Além disso, acreditam que uma Pós-graduação seria difícil de abarcar todos os defensores.

Modelo indicado: Trilha de Aprendizagem 2

Justificativa: a defensoria do estado X poderia ofertar a todos os defensores públicos um curso Básico de Inteligência. Eles entenderiam o potencial uso das ferramentas e como o núcleo de Inteligência poderia auxiliá-los em seus desafios diários. Após este primeiro ciclo de capacitação, o curso Tomada de Decisão seria uma boa escolha pois apresenta de forma prática como decidir baseado em informações confiáveis. Tratam-se de cursos rápidos que podem ser organizados conforme a realidade do órgão.

Exemplo 3

Um grande escritório de advocacia é contratado por um banco para apoiar a análise de risco de empréstimos para empresas. Decide então que precisa elaborar uma metodologia de busca de informações de forma ágil e que forneça uma base de decisão para o banco quanto aos riscos de empréstimos para uma empresa cliente.

Modelo indicado: Trilha de Aprendizagem 2

Justificativa: a indicação neste caso seria o escritório de advocacia propiciar aos seus colaboradores os cursos Básico ou Avançado de Inteligência, posteriormente o curso Inteligência de Fontes Abertas e, por último, o Curso Due Diligence. Os cursos podem ser contratados concomitantemente. Mas para um aprendizado mais qualificado, neste caso, recomenda-se que o curso Inteligência de Fontes Abertas seja realizado antes do curso Due Diligence.

Conclusão

Para a aplicação das Trilhas de Aprendizagem a instituição ou o(a) profissional que deseja investir na carreira de Inteligência precisa identificar quais as competências e conhecimentos necessários para obter os resultados esperados.

Apesar de elaborar e indicar as Trilhas de Aprendizagem 1 e 2, conforme os exemplos citados, o Instituto Cátedra acredita que uma Pós-graduação, sempre que possível, é o melhor caminho para a construção de uma base sólida para o futuro Profissional de Inteligência.

As capacitações em Inteligência são ditas complementares. Isto significa que não há uma graduação em Inteligência. São diversas habilidades e conhecimentos que são agregados à formação de cada profissional de inteligência. Ou seja, qualquer profissional, de qualquer área de formação pode seguir a carreira de Inteligência. Ou, ainda, permanecer em sua área de atuação profissional, mas melhorar seus resultados e aperfeiçoar sua tomada de decisão diária com as capacitações da Atividade de Inteligência.

Aqui no Instituto Cátedra são oferecidos diversos cursos, em modalidades variadas, para iniciar ou aperfeiçoar sua carreira na Atividade de Inteligência

Somos uma instituição que possui como Missão “Fornecer capacitação e soluções profissionais de alta qualidade nas áreas de Inteligência, Segurança, Gestão e Estratégia”.

Comente sobre este artigo